Isabela Etchenique

artistas 

1997

São Paulo, São Paulo

 

Através de um amplo vocabulário técnico que compreende intersecções com elementos da arquitetura, geografia, topografia, cartografia e hidrografia, Isabela Etchenique compõe seu universo visual. Bacharel em Artes Visuais pela Belas Artes de São Paulo, a artista elege as técnicas gráficas, de escultura e desenho como veículo de suas pesquisas poéticas. A observação minuciosa da geometria de seu entorno é o substrato de suas composições, que carregam em sua apresentação os rigores formais da simetria, harmonia e relações espaciais de equilíbrio buscadas pela artista em suas investigações.

Ao valer-se da técnica do desenho e do tridimensional, Isabela confere à materiais próprios da arquitetura e da construção civil o caráter de suporte artístico. Por meio do jogo de impressão de imagens arquitetônicas sobre azulejos e desenhos de hidrografia sobre vidro, a artista cria objetos que tanto versam sobre as características inerentes ao próprio material – fragilidade, transparência e solidez -, quanto sobre sua aplicabilidade nas paisagens e edificações que captam seu imaginário.

Ao buscar traduzir para o tridimensional a síntese de sua relação com o espaço, Isabela cria objetos-testemunho de sua visão estrutural do mundo. A visão transparente da artista revela, no decurso de seus trabalhos em desenho, escultura, gravura e fotografia, os arranjos e organizações invisíveis que nos rodeiam no cotidiano. Os alicerces e esqueletos das edificações e ambientes urbanos emergem à luz na forma de seu amplo leque de elaborações visuais, onde as essências e fundamentos do espaço ganham materialidade.

Isabela examina a conformação espacial e seus substratos com olhos clínicos, criando novas disposições e ordenações a partir de uma linguagem híbrida. Seu interesse pelo universo imagético dos mapas, gráficos e desenho estrutural imprimem sobre sua obra sugestões de tensão entre rigidez e fluidez, permanência e efemeridade, através de uma visão que busca o entendimento da verdadeira essência do mundo visível.